VERGONHA! E ESCÂNDALO: Vereadores se acovardam e aprovam o veto do Prefeito Léo Brito aos recursos do FUNDEF

Destaques Editorial Jornalístico Manchetes Manchetes II Região
Prefeito de Alcobaça-BA- Léo Brito PSD

Em uma reunião que teria acontecido ao apagar das luzes da Câmara Municipal do Município de Alcobaça, na calada da noite na casa do prefeito Léo Brito (PSD) formou-se o palco da trama que segundo os munícipes e a APLB de Alcobaça, seria O GOLPE FINAL da Precatória Judicial, onde vereadores foram convocados a votar “cara a cara” com o gestor, em um ato espúrio de intimidação velada e demonstração de poder.

Segundo relatos, nesta reunião o que prevaleceu foi os interesses particulares de cada um em defesas DAS INDICAÇÕES DE EMPREGO, DAS COTAS DE GASOLINAS, contrariando a categoria dos PROFESSORES e toda a sociedade de Alcobaça.

Como demonstração de representação de aliança com o prefeito que tem profundo interesse tanto particular, tanto público sobre a VERBA JUDICIAL, os vereadores:

GÓ DA COLONIA, ÉRICO DE TAQUARI, BERINHO DO CANTA GALO, SANDRA DO CANTA GALO, DROZINHO, PIPI DE SÃO JOSÉ, TIETA DA SAÚDE, ALEGRIA DA CAPOEIRA E DEDE DO CAXANGÁ aprovaram o VETO DO PREFEITO MUNICIPAL QUE AUTORIZARIA O GESTOR a criar uma comissão no prazo de 45 dias afins de montar um plano de aplicação das referidas verbas.

O VEREADOR ALEGRIA na reunião do dia 11 fez um discurso em defesa da Emenda Municipal Orçamentaria porém na VOTAÇÃO foi A FAVOR DO VETO de Léo Brito.

O VEREADOR GÓ DA COLONIA exclamou que tinha prima, comadres, amigos e que jamais ficaria contra a categoria por ser representante de uma classe e foi de contra seu próprio discurso e VOTOU A FAVOR DO VETO.

O PRESIDENTE DA CÂMARA ERICO MIRANDA após receber juntamente com os demais vereadores e os representante da APLB/ Sindicato fez discurso controverso e criativo, se colocou a disposição da categoria fez uma ida e vinda de apoio , porém VOTOU A FAVOR DO VETO.

O VEREADOR BERINHO passou a semana toda falando do apoio aos professores e que votaria nos 30% do Orçamento da Verba Judicial do FUNDEB.

Porém misteriosamente após o encontro com o gestor municipal mudou o seu discurso e acabou votando tal como os seus companheiros, A FAVOR DO VETO.

O VEREADOR DEDE DO CAXANGÁ vivia dizendo que era a favor dos 60% por cento da precatória judicial aos professores, e após ter sido chamado a atenção pelo gestor municipal acabou mudando seu voto e votando A FAVOR DO VETO.

Os únicos vereadores que mantiveram fieis ao seu posicionamento foram:

OTONIEL E GILDÁSIO DA ROSINHA DO PRADO que permaneceram com seu VOTO CONTRA O VETO. Estes pelo menos honraram sua postura assumida diante da sociedade Alcobacense.

Os demais vereadores como TIETA, SANDRA E PIPI também conduzidos pelo pedido do prefeito Léo Brito, e votaram a favor do veto.

No vídeo que circula nas redes sociais é possível ver a indignação dos professores e moradores do município de Alcobaça com a aprovação do VETO do Prefeito Léo Brito.

 

 

Logo após essa atrocidade cometida contra os professores a APLB-Alcobaça veio á público questionar a atitude dos vereadores que votaram a favor do executivo.

APLB SINDICATO DE ALCOBAÇA, vem a público questionar os vereadores do município de Alcobaça acerca da articulação tramada contra os servidores em educação na noite de hoje (18/12/2017), quando dedicam uma assembleia exclusivamente para votar um VETO do gestor municipal, que alega ser INCONSTITUCIONAL, elaborar um Plano de Aplicação para gastar os valor de mais de 64 milhões de reais referentes aos PRECATÓRIOS DO FUNDEF.

INCONSTITUCIONAL é a não elaboração do Plano de Aplicação.

ERRADO é receber um documento e em menos de doze horas APRECIAR e VOTAR.

Ainda na reunião realizada em 11/12/2017, todos os vereadores votaram por UNANIMIDADE a emenda que orienta o gestor, a constituir COMISSÃO PARITÁRIA no prazo de até 45 dias formada por representantes do executivo, legislativo e APLB para ELABORAR O PLANO DE APLICAÇÃO DOS PRECATÓRIOS DO FUNDEF.

O que aconteceu com os senhores(as) vereadores(as)?

A APLB SINDICATO DE ALCOBAÇA, irá realizar assembleia extraordinária nesta quinta-feira (21/12/2017) propondo a categoria o NÃO INÍCIO DO ANO LETIVO DE 2018, caso os SENHORES(AS) VEREADORES (AS), não anulem essa votação de VETO a referida emenda, pois consideramos que tudo foi feito na surdina, tendo em vista que alguns vereadores nos relataram ter conhecimento do VETO apenas no horário da assembleia.

Nesta noite apenas os vereadores Otoniel Souza Munize Gildasio mantiveram as suas palavras com a categoria.

 

Por: Opinião Pública/ Léo Feitosa/ Da Redação

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *