Vereadores de Teixeira de Freitas aprovam o empréstimo solicitado pelo atual prefeito no valor de R$ 55 milhões.

Variedades

Na sessão ordinária da manhã desta quarta-feira (15/03), da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas, sob a presidência do (vice-presidente) vereador José Bernardo Gomes Cabral (PSD), os vereadores aprovaram por unanimidade o Projeto de Lei do Poder Executivo nº 02/2017, que autoriza a abertura de Crédito Adicional Especial até o valor de R$ 54.865.850,00 para inclusão de dotações no orçamento vigente do município.

Tal empréstimo vai na contra-mão daquilo que foi afirmado pelo Prefeito Timóteo Brito e sua base aliada na Câmara de Vereadores, de que a prefeitura possuísse um rombo orçamentário de mais de R$ 180 milhões, deixado segundo sua equipe, pelo gestor anterior o ex-prefeito João Bosco Bittencourt.

Já que um empréstimo nesse momento apenas aumentaria ainda mais essa “lendária” divida.

Em um pronunciamento as redes sociais o João Bosco Bittencourt afirmou:

“Reafirmando: a gestão anterior entregou o município com uma capacidade de endividamento de 100% da receita corrente, desmentindo a informação veiculada sobre as dificuldades de administração financeira do município.”

A aprovação desse novo empréstimo reforça a tese que o rombo trata-se na verdade de engodo.  

O Projeto de lei tramitava na Câmara desde o 6 de março, porém foi lido e apreciado pelo plenário na Sessão Ordinária da última segunda-feira (13) e hoje (15), o Projeto de Lei foi votado e aprovado pelo parlamento, prevendo outras despesas correntes, investimentos e aplicações diretas dentro do próprio orçamento vigente.

Vale lembrar que a gestão anterior também teve um empréstimo no valor de R$ 30 milhões aprovados pelo vereadores na gestão passada, e que na ocasião, muitos veículos de comunicação fizeram um verdadeiro “Show Pirotécnico” no que pelos mesmos foi classificado como “Assalto aos Cofres Públicos”.

Pelo o que parece dessa vez não houve muito ” Interesse “  de se repetir o espetáculo dantesco.

Teria o fato da gestão ser outra influenciado para a aparente inercia dos meios de comunicação?

Só Deus e a consciência de cada um vai poder dizer! O fato é que a cidade contraiu mais uma divida, que pode ser posta no  titulo de “Rombo” para as próximas gestões.

Nesse Projeto de Lei, o prefeito Timóteo Alves de Brito solicitou a suplementação conjeturando os novos investimentos na Secretaria Municipal de Administração e Planejamento, gastos adicionais com pessoal e encargos sociais em aplicação direta e prevê também a construção do Centro Administrativo de Teixeira de Freitas.

Na sessão ordinária do dia 7 de dezembro de 2016, a antiga composição da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas, já havia aprovado a LOA para o exercício 2017. A Lei Orçamentária Anual para o exercício deste ano foi aprovada com um orçamento no valor global de R$ 470 milhões e, ainda os vereadores acompanharam por unanimidade uma emenda apresentada pelo ex-vereador Edinaldo Rezende (PT), que concedeu com sua proposta uma suplementação de verba de 100% para o atual prefeito Timóteo Alves de Brito.

Ou seja, com tanto recursos, empréstimos, verbas federais provenientes dos PAC ( herança do ex prefeito João Bosco ) Timóteo Brito terá plena condições de administrar a cidade, se não o fizer não poderá dizer que foi por falta de recursos.

Por: Opinião Pública/ Léo Feitosa/ Fonte: Athylla Borborema.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *