Retrocesso: Secretário de Educação e Cultura de Teixeira de Freitas proíbe uso de internet nas escolas.

Destaques Manchetes Manchetes II Variedades

O secretário de Educação e Cultura do município de Teixeira de Freitas, Hermon Lopes De Freitas publicou uma portaria Nº 22, DE 24 DE JULHO DE 2017,  publicado no dia 31 de julho no Diário Oficial do Município estabelecendo a proibição de que Servidores Municipais Concursados, Comissionados ou em caráter temporário, ou que fazem parte do quadro da Educação, utilizem o uso e acesso a Redes Sociais, Jogos eletrônicos, por qualquer meio, bem como a realização indevida de ligações nas dependências das Escolas da Rede Municipal de Ensino e em todos os espaços que fazem parte da Secretaria de Educação e Cultura do município.

Algo estranho em plena era digital, principalmente vindo do nobre secretário que é um assíduo utilizador das redes sociais para divulgar seus “feitos” na internet”.

Em 2014, só metade das escolas de educação básica no Brasil tinham acesso à internet de banda larga, segundo um estudo feito pelo Instituto Ayrton Senna. De acordo com os dados, a porcentagem de escolas públicas nessa situação em 2014 era de 42,7%, taxa menor que a registrada seis anos antes pelas escolas particulares, de 48,8%.

No ano passado, na rede privada, 80,2% das escolas já tinham acesso à internet de alta velocidade. Os dados foram levantados a partir das últimas sete edições do Censo Escolar.

Segundo os números do Censo, o Brasil tinha um total de 149.098 escolas públicas e 39.575 escolas privadas de educação básica em 2014. Embora as escolas privadas representem 20,9% do total de escolas no país, elas respondem por 33,3% do total de escolas brasileiras com internet de banda larga.

É possível notar, a partir do levantamento, que o investimento público em banda larga privilegia os estudantes do ensino médio. Na divisão entre o ensino fundamental e o ensino médio, 79,4% das escolas públicas de ensino médio tinham banda larga em 2014, contra 90,8% das escolas particulares.

Em nota, o Ministério da Educação (MEC) afirmou que considera que o número de alunos atendidos é o melhor indicador. “Ao contrário do que apresenta o estudo, o Brasil já atende 70% do total de alunos do ensino fundamental público, ou seja, mais de 16,8 milhões, e 84% dos estudantes do ensino médio público, o que representa 6,1 milhões de matrículas”, afirma o ministério.

 

Infelizmente a cidade de Teixeira de Freitas tem seguido na contra-mão do progresso após a posse do atual prefeito Timóteo Alves de Brito, batendo recordes históricos de evasão escolar, criminalidade, desemprego, mal atendimento do Sistema Público de Saúde, do Sistema de Assistência Social e agora mais esse retrocesso na qualidade do ensino público municipal.

 

 

Por: Opinião Pública/ Léo Feitosa/ Fonte: Diário Oficial

 

 

 

Comentários

Comentários

3 thoughts on “Retrocesso: Secretário de Educação e Cultura de Teixeira de Freitas proíbe uso de internet nas escolas.

  1. Esta proibido acesso redes sociais e jogos eletrônicos ta certo mesmo ambiente de trabalho foi feito pra trabalhar não ficar em redes sociais
    ..

  2. Isso é uma afronta a nossa educação.
    Enquanto os novos professores estao se preparando para utilizar essas ferramentas em prol do ensino/aprendizado. Nosso atual secretário da educaçao esta proibindo?

    Secretário?
    Você está em sua sã consciencia?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *