Há Tentativa De Desacreditar Os Investigadores, Afirma Janot

Manchetes Manchetes II Política Variedades

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse nesta terça-feira (12) que, diante das fartas provas de corrupção coletadas pelo Ministério Público, só resta aos investigados tentar desacreditar os investigadores.

“Nunca se viu, em toda a nossa história, tantas investigações abertas, tantos agentes públicos e privados investigados, processados e presos. As instituições estão funcionando”, disse Janot.

“Como não há escusas pelos fatos descobertos, tantos são os fatos e tão escancaradamente comprovados, que a estratégia de defesa não pode ser outra senão tentar desconstituir, desacreditar a figura das pessoas encarregadas do combate à corrupção.”

Janot participou do lançamento da campanha Todos Juntos Contra Corrupção, na sede do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), em Brasília.

“O enfrentamento à corrupção nos últimos anos foi alçado a prioridade na atuação do Ministério Público brasileiro”, disse o procurador-geral, cujo mandato termina no próximo domingo (17).

Janot não citou nomes nem casos concretos ao falar sobre a corrupção. Nos últimos dias, ele tem sido alvo de críticas de políticos devido às novas revelações sobre o acordo de delação de executivos da JBS.

Há suspeitas de que um ex-auxiliar de Janot, o ex-procurador Marcello Miller, tenha atuado em favor da JBS durante a elaboração do acordo de delação com a PGR (Procuradoria-Geral da República), entre fevereiro e março deste ano. Miller pediu exoneração em fevereiro, mas só foi oficialmente desligado do Ministério Público em 5 de abril.

Depois de deixar a carreira de procurador, Miller passou a trabalhar no escritório de advocacia Trench Rossi Watanabe, que negociou parte do acordo de leniência (de pessoa jurídica) da JBS. O ex-procurador tem negado irregularidades em sua atuação.

No evento desta terça, Janot disse que “com certeza muitas pernas tremem” ante o trabalho de combate à corrupção que vem sendo desenvolvido. “A corrupção aniquila vidas, sonhos e a esperança de dias melhores”, declarou.
A campanha Todos Juntos Contra Corrupção é uma iniciativa de várias entidades sob coordenação do CNMP. Procuradores anunciaram o lançamento de editais para selecionar iniciativas educacionais para promoção da cidadania e de uma cultura de intolerância à corrupção.

 

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *