Cadê o dinheiro do Passe Livre? Estudantes vão a Tribuna da Câmara Municipal reivindicar o passe livre em Teixeira de Freitas

Destaques Manchetes II Política

Na manhã desta quarta-feira, dia 16 de agosto de 2016, o assunto da suspensão do passe livre, veio novamente à tona na tribuna da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas.

Representados por Letícia Ferreira da Silva, os estudantes da Universidade Federal do sul da Bahia, do IfBaiano, Uneb e das escolas secundárias, mostraram sua insatisfação com o descumprimento da Lei Municipal 664/2013.

 

Um dos pontos altos da sessão plenária, Letícia Ferreira da Silva (da UFSB), se pronunciou sobre o passe livre. Os estudantes do Campus Paulo Freire da Universidade Federal do Sul da Bahia e da Escola Municipal Ruy Barbosa que se aglomeraram no plenário durante a sessão plenária, estão alegando que o aumento da passagem do transporte coletivo para R$ 3,10 foi abusivo e ainda estão protestando contra a suspensão do passe livre para o estudante que está sem operacionalidade há quase 8 meses, mesmo o repasse tendo chegado todo mês, além da reclamação da falta de pontos de ônibus estruturados na cidade

” Não foi doação, não foi presente”, frisou Letícia sobre a lei a respeito dos recursos do passe-livre recebidos pela atual gestão, e não disponibilizado a milhares de estudantes no município de Teixeira de Freitas pelo Prefeito Timóteo Alves de Brito.

A atual gestão não tem feito o repasse da verba à empresa de transportes, o que tem dificultado o deslocamento dos estudantes, que tem de pagar com recursos próprios a tarifa que sofreu reajuste – dentro da legalidade como reconhece os estudantes, entretanto, para ela o aumento não está em proporcionalidade ao momento de crise econômica e nem com a infra-estrutura necessária como pontos de ônibus e linhas estratégicas.

 

 

 

“Cadê a verba? Cadê o passe livre? Nós temos muitos estudantes sendo prejudicados com a falta desse benefício. Temos muitas famílias que estão tendo que tirar o dinheiro da alimentação para manter seu filho na escola […] Sem falar nos estudantes que tem a necessidade de mais de um transporte por dia para chegar ao seu destino […] A LDB que é a lei de Diretrizes e Bases , que prevê o mínimo de educação brasileira está sendo ferida”, ressaltou a estudante.

Letícia também convidou os membros do legislativo a andar de ônibus para ver de perto as dificuldades dos estudantes e trabalhadores.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *